Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘poeta-judoca’

Paulo Leminski. Se há um poeta que me incendiou, foi esse. Lembro de Drummond, Bandeira, Murilo Mendes, Cecília Meireles, entre outros tantos que li, ainda na escola e que muito me impressionaram e me acompanham até hoje. Mas nada parecido com o efeito “Leminski”. Foi diferente, dele conhecia pouca coisa, sabia que havia escrito haikais e que tinha ligações com a MPB, mas isso logo mudaria. Por vários motivos acabei indo morar em Curitiba. Logo que cheguei um amigo me levou para um passeio “turístico” pela capital. O passeio estava morno, até que me deparei com uma tal “Pedreira Paulo Leminski”. Descobri logo que se tratava de um espaço para shows, entretanto o que me interessou nesse lugar foi o pequeno museu em homenagem a Leminski. Para falar a verdade, o que me intrigava mesmo era saber o porquê do poeta ser tão ligado com a cidade, afinal em todo canto da cidade havia referências a ele. Primeiro pensei que fosse algum tipo de bairrismo. Felizmente descobri que não era. Comecei a ler Leminski. Primeiro foi um livro que um amigo me deu, chamado “Distraídos Venceremos”, o mesmo amigo que tinha me apresentado a cidade e um pouco da vida do “poeta-judoca”. Logo as leituras se tornaram mais constantes, frenéticas, o que mais me surpreendia (e até hoje ainda é assim) era como Leminski fazia poesia de tudo – natureza, artes marciais, futebol, política, de sua própria vida. Só que não é qualquer poesia. É uma mistura de simplicidade, talvez trazida do haikai e do zen budismo, misturada com uma erudição ímpar, abusando da experiência com a língua, ou melhor, com as linguagens, entretanto sem cair no “hermetismo acadêmico” dos concretistas (e olha que eu gosto de poesia concreta). Leminski para mim é o que se pode chamar de mestre. E diante disso, só me resta dizer: LEIA LEMINSKI.

(lyard)

Anúncios

Read Full Post »